Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Reportagens

Sustentabilidade a partir da sala de aula

Blumenau – Com o intuito de tranfornar a escola e seu entorno num ambiente mais sustentável, professores, direção e alunos da Escola Básica Municipal Visconde de Taunay, desde 2011, executam diversas ações ambientais.
 
 
Plantadas no estacionamento da escola, as árvores vão auxiliar na preservação da nascente existente no local. 
 


A diretora Roseli de Andrade explica que a iniciativa começou quando ela teve a oportunidade de participar do VI Encontro “Oi Tonomundo”, com o tema Educação Sustentável, que aconteceu em Pirenópolis, Goiás, entre 28 e 30 de abril de 2011.
“Conheci uma fazenda modelo do Ecocentro IPEC - Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado, que desenvolve e adapta soluções para problemas ambientais através de tecnologias sustentáveis, como captação e uso adequado da água, geração de energia renovável”, declara a diretora.
Empolgados com as idéias que Roseli trouxe de Goiás, um grupo de professores foi até a fazenda modelo para conhecer mais de perto os projetos desenvolvidos, para então implementar algumas das soluções na escola e sua comunidade.
As atividades são trabalhadas concomitantemente com os conteúdos pedagógicos, em todas as disciplinas. “O professor busca fazer relação das matérias com o meio ambiente e a sustentabilidade sempre que possível.
Por exemplo, nas aulas de matemática do 7º ano, os estudantes estão estudando a produção de lixo e como reduzir a produção do nosso lixo escolar em até 50%. Para isso, realizam cálculos, pesagens dos resíduos produzidos por cada turma e desenvolvem estratégias para atingir a meta”, explica Roseli.
 
 
Espera-se que o isolamento térmico reduza em até 8 graus a temperatura da sala de aula. 
 
Reflorestamento, redução de energia, captação de água da chuva...
No dia dois de março, a comunidade escolar iniciou sua 1ª Ação Sustentável de 2012: o reflorestamento de uma área utilizada como estacionamento e que tem uma nascente, próxima à escola. 
Serão plantadas 100 mudas de árvores frutíferas e nativas da região como abacateira, pitangueira, gabiroba, tucaneira e ingá. Além de embelezar e arejar o ambiente escolar, o plantio auxilia na preservação da nascente. Será construída também uma trilha entre as árvores e cada uma receberá placa de identificação.
Sala de aula com isolamento
Entre as propostas a serem implementadas este ano, está em andamento a construção de uma sala de aula com isolamento térmico a partir de caixas de embalagem longa vida. 
O estudo está sendo realizado desde 2011 pelos alunos do 3º ano, que ao criarem uma cortina com caixas de leite, verificaram a diminuição de 2 graus na temperatura interna da sala durante os dias de maior calor.
O intuito é realizar um mutirão com os pais e comunidade para forrar toda a sala com o material, para que a partir daí os estudantes possam fazer o acompanhamento da temperatura.
“De acordo com os estudos que fizemos, a temperatura pode reduzir em até 8 graus. Se Conseguirmos reduzir em até 4 graus, iremos expandir a iniciativa para as outras 22 salas da escola”, explica Roseli.
Será iniciado também este ano a construção do quintal biodiverso, com plantas ornamentais, flores, verduras e legumes, captação de água da chuva e também a construção de Ilhas de Diversidade no pátio da escola.
 
 
“Queremos criar um espaço de lazer nesse pátio que hoje só tem brita. A intenção é arborizar e atrair pássaros, borboletas e também tornar um local onde as crianças possam realizar brincadeiras ao ar livre”, revela a diretora.
Para o desenvolvimento das atividades, a escola conta com diversos parceiros, como arquitetos, artistas plásticos, Secretaria da Educação, universidades da região, dentre outras.
 
 
A biblioteca trocou a mala viajante por uma sacola confeccionada com embalagens reutilizáveis de papel.