Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Reportagens

Parque de pneus ensina sobre reaproveitamento de materiais

Joinville - Para as crianças, o brincar é uma maneira de vivenciar experiências, exercitar habilidades, estimular a criatividade e aprender a relacionar-se com os outros e com o meio ambiente. Sob essa ótica, o CEI Cachinhos de Ouro desenvolveu o projeto “Diversão, com direito a pé sujo e muita descontração”. 
Ganhador do Prêmio Embraco de Ecologia do ano passado, o projeto previa a construição de um grande parque em uma área inutilizada da unidade. 
 
 
Entre outras plantas, alunos e professores plantaram crotalárias, planta responsável por auxiliar no combate ao mosquito transmissor. 

O parque diferente, deveria envolver os pequenos das mais variadas formas, englobando o estudo do meio ambiente e da reciclagem e reaproveitamento de materiais.
“Percebemos que na região, assim como em Joinville no geral, o destino dos pneus nem sempre é adequado. Então, esse material, um gerador de poluição, doenças e acumulador de água, foi usado para trabalhar o reaproveitamento. Pensamos em um parque estruturado com pneus”, explica a professora, Ilca Lehnen, que juntamente com a professora Meire Lúcia de Aguiar Silva, coordena o projeto.
Um pedacinho de cada um de nós...
Paralelamente à construção, inúmeras atividades pedagógicas envolviam os alunos de zero a cinco anos. Cada etapa do parque de pneus levou a um tipo de estudo. Entre elas, a ética, valores, respeito a todos os seres vivos e elementos da natureza, estudo de campo e brincadeiras.
Os pequenos aprenderam sobre a origem e o destino do material, realizaram pesquisa de campo nas borracharias da região. Descobriram que tipos e tamanhos de pneus poderiam ser utilizados, os cuidados que todos devem ter para não acumular água nos pneus, nem degradar no meio ambiente.
A comunidade foi convidada a participar de uma palestra sobre a dengue, e descobriram que uma planta chamada crotalária, atrai libélulas e mosquitos. E as larvas das libélulas devoram as larvas do mosquito e depois de adulta, ela também se alimenta do mosquito da dengue. 
 
 
As crianças se divertem com os novos brinquedos do parque. 
 
Nos pneus, as crianças plantaram a crotalária em torno do parque.
A medida em que as atividades foram sendo desenvolvidas, o parque recebeu hortas, pomar, espaço para compostagem, campo de futebol de areia, minhocário, instrumentos musicais e barracas construídos com canos, chuveiro, espaço para piscina, brinquedos de pneu, circuitos, entre outros atrativos. 
Após meses de trabalho, o espaço, antes um banhado, foi transformado num belo parque.
 
Comunidade participou
 
 
 
Em todas as etapas, os pais e a comunidade auxiliaram. “Em setembro realizamos uma gincana que envolveu alunos, pais, professores e também a comunidade em torno do CEI. Entre as tarefas, trazer material de construção,  utilizado nas obras do parque”, explica Ilca.
Além de receber mudas de plantas, barro, areia, brita da Fundação 25 de Julho e da Secretaria Distrital de Pirabeiraba e pneus das borracharias, pais e professores, um Clube de mães foi formado e com a doação de cartazes e banners de um shopping da cidade, as mães confeccionam sacolas ecológicas.
 
O grande dia
 
 
“A nossa criança de hoje necessita de experiências e interações que satisfaçam a curiosidade e desejo de sentir os objetos. O brincar que é o que torna a criança ativa, criativa e proporciona a ela relacionar-se com os outros. É o brinquedo que convida a brincar, desafia seu pensamento e ainda deve estimular sua criatividade”
CEI Cachinhos de Ouro 
 
No dia dois de dezembro, a grande inauguração aconteceu,  quando a comunidade pode conferir o resultado dos esforços de todos.
Logo na entrada, foi montado um túnel com panos negros. Conforme as pessoas atravessavam o túnel, percebiam lixo pelo chão e paredes, cartazes que chamavam atenção para a forma com que o ser humano trata o planeta.
Ao final do túnel, uma surpresa: a solução para todos esses problemas. O espelho refletia a pessoa, que individual ou coletivamente, pode tomar atitudes em favor da preservação do ambiente.