Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Reportagens

Teatro desperta sensibilidade e paixão

Joinville – Desde setembro, 22 alunos de 7ºs, 8ºs e 9ºs anos da EM Orestes Guimarães participam do grupo de teatro criado pela professora de históriaLiane Renate Nering Coral. Os ensaios do projeto “Encenando na Escola” acontecem uma vez por semana no contra turno. “Leciono há dezoito anos e sempre utilizo técnicas de artes cênicas em classe, percebi então que essa arte é capaz de verdadeiros milagres com os adolescentes. Com o teatro, eles se sentem parte do meio, inseridos, importantes... Então decidi sair da sala de aula e encenar temas que não estão nos conteúdos programáticos”, explica Liane. 
 
 
 
“As artes cênicas despertam a sensibilidade nas pessoas e elevam a auto estima tanto de quem encena, quanto de quem assiste”, declara a professora Liane. 

 
O projeto “Encenando na Escola” busca possibilitar o desenvolvimento de novas habilidades no âmbito escolar, socialização, criatividade, coordenação, memorização e vocabuário, criando um espaço de educação cultural na escola. 
Internamente, pretende-se ainda levar os alunos a utilizem o teatro para levantar questionamentos e criar soluções para situações, muitas vezes conflituosas, vivenciadas diariamente no ambiente escolar. 
Num primeiro momento, a professora Liane optou por encenar peças já prontas, devido ao curto tempo para os ensaios. Divididos em grupos por afinidade, os alunos ensaiaram, montaram figurinos e cenários.
 
Mostra interna
 
 
Apresentações estimulam a participação de outros estudantes. 
 
No dia 30 de novembro teve início as apresentações das adaptadas das peças “No Palco Todo Mundo Vira Bicho”, de Marcelo R.L. Oliveira, Elias José e José Carlos Aragão; “A Verdadeira História dos Três Porquinhos”, texto de Jon Scieszka; “O Caçador de Borboletas”, escrito por Maria Clara Machado e “De Morte”, de domínio público. 
A 1ª Mostra Interna de Teatro da Escola Municipal Orestes Guimarães foi realizada de 30 de novembro a cinco de dezembro com apresentações para os alunos, pais, professores e comunidade em geral.
Segundo a professora, a intenção é apresentar as peças ao longo do ano letivo, especialmente em datas comemorativas, homenagens cívicas, durante os recreios culturais, festa junina, entre outras oportunidades. 
“Era meu sonho termos um grupo permanente de teatro na nossa escola, pois o interesse dos alunos pelas artes cênicas é evidente e acredito nessa arte como forma de despertamento, de descoberta de múltiplas habilidades dentro do cenário escolar. O aluno passa a ver o espaço escolar de outra forma, passa a se sentir parte da escola e passa a se sentir muito mais valorizado”, conclui a professora. 
 
 
Os cenários e figurinos são preparados pelos alunos.