Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Reportagens
Educação Ambiental

A criança precisa saber que conforto e consumo tem preço

     Joinville- A frase ao lado resume o ponto de vista dos defensores da educação para a sustentabilidade ou para a consciência e não para o hábito como tem sido feito na maioria das escolas brasileiras. A idéia vem crescendo nos últimos anos e defende, basicamente, o consumo consciente somente do que for necessário e provocar menos danos possíveis ao ambiente, sem desperdiçar.

     Nesta visão, o ambiente é parte de uma teia de um único fio, que se tiver qualquer ponto danificado ou impactado, perde o equilíbrio e poderá se romper. É a complexidade da teia, que então estará alterada para sempre, pois a evolução de seus componentes e integrantes está no relacionamento entre eles e não em sua evolução individual.

     Defendida pelos palestrantes do Fórum Baia Babitonga, realizado no dia 17 de maio, pelo Comitê Estratégico de Meio Ambiente do Instituto Joinville e pela Secretaria de Integração e Desenvolvimento Econômico de Joinville, a nova teoria deve nortear todas as ações em prol da educação para a sustentabilidade, ainda mais abrangente do que a educação ambiental e deve também educar para a governança, entendida como a capacitação das pessoas para participar e gerir sua vida e o ambiente em que vive.

 


          


 

Login Form