Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Projeto Perfil
Garuva

Ensino de Garuva é um dos melhores do país (Julho/2010)

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB dos anos iniciais da rede municipal de ensino de Garuva de 2009 é de 6,9 contra 4,2 de 2007. O índice coloca a rede municipal em primeiro lugar entre todas as do estado de Santa Catarina nos anos iniciais e em 12° lugar (empatada com 17 outros municípios), em nível nacional. 
A pontuação superou qualquer espectativa da equipe da Secretaria Municipal de Educação e é maior, inclusive, do que o índice projetado pelo Ministério da Educação-MEC, para ser alcançado em 2021 que é de 6,0. 
O nível de aprendizagem destes alunos é comparável ao dos países desenvolvidos.  O salto de 2,7 pontos demonstra que os investimentos estão sendo bem direcionados e gerenciados.  Nas séries finais, a rede municipal conseguiu atingir a meta prevista pelo MEC para 2009, que é de 4,3 pontos. 
 
 
 

 
Os resultados são considerados mais do que um prêmio pela equipe que planeja e coordena a educação da rede municipal. 
 
 
O desempenho excepcional dos alunos dos anos iniciais da Escola Municipal Vicente Vieira na Prova Brasil contribuiu de forma definitiva para o desempenho da cidade. 
Nas quartas séries, a escola elevou o índice de 3,9 (IDEB-2007) para 6,9 em 2009, ultrapassando a meta projetada pelo INEP/MEC, de 4,1.
Resultado que colocou aquele estabelecimento de ensino entre ao dez melhores de Santa Catarina neste nível de ensino.
Na mesma escola, a pontuação das séries finais, considerando a prova das oitavas séries, atingiu a meta de 4,3 consolidando o processo de crescimento e evolução daquela unidade escolar.
Para a diretora Celoni Pizatto “o IDEB retrata a dedicação e competência de toda uma equipe articulada em fazer educação de qualidade”.
Por conta dos resultados das escolas, a rede municipal  é destaque nacional. Nos anos iniciais  está em  primeiro lugar no estado e em 12° lugar, empatada com 17 outros municípios, em nível nacional. O que coloca Garuva entre as melhores redes municipais de ensino do país.
A secretária de educação Márcia Corrêa enfatiza que “se hoje apresentamos resultados sensacionais, os méritos são da equipe responsável e eficiente que mantemos na rede municipal de Garuva. Trabalhamos com seriedade, oferecemos capacitação e redirecionamos posturas acerca da educação, por isso, acreditamos que os resultados não poderiam ser diferentes. Estamos felizes e motivados a fim de promovermos melhorias a todo instante e em todos os lugares. Agradecemos a todos que direta ou indiretamente fazem parte desse resultado talentoso”.
Para Neusa Regina Wachholz, diretora de ensino, “o índice obtido é o retrato de uma educação extremamente capacitada e mantida a fim de promover melhorias a toda uma nação. Sustentamos uma equipe que cria e redireciona planejamentos coletivos e articulados, atua de forma alternativa e, acima de tudo, possui peculiar senso crítico na busca pelos resultados mais brilhantes. Além dessa estrutura humana, oferecemos projetos e programas que auxiliam na promoção do aprendizado, material didático eficaz, alimentação saudável e nutritiva. E, por fim, permanentes adequações na estrutura física, ou seja, um universo de qualidade e sensacional eficiência”. 
 
 
Da esquerda para a direita: Secretária Márcia Corrêa, diretora da EM “Vicente Vieira” Celoni Pizatto e prefeito João Romão.
 
 
IDEB
Trata-se de um indicador que sintetiza, em uma escala até dez, dois conceitos de igual importância para a qualidade da educação: aprovação e média de desempenho dos estudantes em língua portuguesa e matemática. 
Calculado a partir dos dados sobre aprovação obtidos no censo escolar e de médias de desempenho nas avaliações do SAEB e na Prova Brasil. O IDEB divulgado no início de julho pelo MEC usou as notas das provas aplicadas em novembro de 2009, em escolas de todo o país. 
A Prova Brasil avaliou os conhecimentos dos estudantes de quartas e oitavas séries em língua portuguesa e matemática.  Além da pontuação, o IDEB considera as taxas de aprovação  e frequência dos estudantes.
Assim, para que o IDEB de uma escola ou rede de ensino seja alto é preciso que o aluno aprenda, não reprove e frequente as aulas.
Além de retratar o nível de desenvolvimento da aprendizagem dos alunos, o índice possibilita a elaboração de políticas públicas capazes de reforçar a aprendizagem em cada localidade.
 
Metas
A série histórica de resultados do Ideb teve início em 2005, com o estabelecimento de metas bienais de qualidade a serem atingidas pelo país, por escolas, municípios e unidades da Federação. A cada instância, espera-se uma evolução que contribua, em conjunto, para que o Brasil atinja o patamar educacional da média dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).
Em termos numéricos, isso significa progredir da média nacional de 3,8 registrada em 2005, na primeira fase do ensino fundamental, para 6 em 2022, ano do bicentenário da Independência.
 

Login Form