Jornal da Educação - JE ISSN 2596-223X - online -

Jornal da Educação-JE ISSN 2237-2164   impresso

Vai valer a pena começar de novo! (Dezembro/2008)

Adeus ano velho, feliz ano novo...
Que tudo se realize no ano que vai nascer.

 

Neste ano, mais do que todos os outros, os catarinenses viverão intensamente a letra e a música que tem embalado as noites do dia 31 de dezembro há décadas. Nesta virada de ano, é preciso ter coragem para começar 2009, esquecendo o ano velho e toda a calamidade que a chuva em excesso trouxe consigo.
Se a cada fim e início de ano, refizemos os planos e renovamos nossas esperanças, neste ano os principais sentimentos a mover os catarinenses serão a coragem e a determinação para começar uma nova vida. 
A esperança, a coragem e, acima de tudo, a autoconfiança determinarão a capacidade de cada um para construir novamente a própria vida.
É um recomeço diferente daquele de um casamento desfeito; até porque não é o relacionamento que termina com a separação, são as vidas dos cônjuges. Os sonhos, os planos de vida, e a vida de cada um, terá de ser repensada, já que ninguém casa pensando em separar.
Também não é o mesmo recomeço do agricultor que a cada nova safra, precisa repetir todas as etapas do plantio à comercialização e transporte do produto, iniciando pela escolha da semente, passando pela preparação da terra para receber a semente até a colheita e comercialização do produto final. Mesmo que também o agricultor, não saiba o resultado de sua empreitada, que depende das condições climáticas, das políticas públicas e da própria saúde para ter boa colheita.
Não é o mesmo recomeço do jovem que saiu da casa dos pais para fazer a faculdade. Não é o mesmo começo de quem esta pegando o diploma da faculdade e tentando ingressar no mercado de trabalho.
Este é um recomeço do zero, da incerteza, da insegurança e da tristeza de ver o trabalho de toda uma vida esvair-se em segundos sob a terra molhada pela água, que sempre foi e continua sendo, a nossa principal fonte de vida. A ponto de podermos afirmar, com segurança, que da água viemos (útero materno), somente com água vivemos e sem água morreremos.
 É um recomeço sem ter a quem culpar pela perda. Sem saber a quem recorrer, ou com quem poder contar. Sem mesmo saber se é mais ou menos merecedor de ajuda do que nosso vizinho.
Trata-se de um começo, com a certeza de ser capaz de construir, embora sem a certeza de que tudo estará lá daqui a alguns anos, no final de nossa vida.
Mesmo assim, é preciso recomeçar e acreditar na própria capacidade de viver, afinal, com a força do trabalho e o calor da solidariedade todos e cada um poderemos, juntos, construir uma casa nova e comprar outros móveis, talvez mais bonitos que os anteriores.
Mas acordar e ver o sol brilhar, poder abraçar o próprio filho, os irmãos, os pais ou mesmo recordar momentos felizes compartilhados ao longo de muitos anos com pessoas que amamos e amaremos para sempre, não tem preço.
E, é bom reafirmar, sempre valerá a pena VIVER e não ter vergonha de ser feliz...

Login Form