H algo de podre no reino ... (Novembro/2009) PDF Imprimir E-mail
Classificao: / 2
PiorMelhor 
Escrito por Jornal da Educacao   
07-Dez-2009


As provas do ENEM e do ENADE vazaram antes de sua aplicao. O que deixou mostra a fragilidade do esquema de segurana das provas aplicadas pelo MEC e que podem prejudicar milhes de jovens e adolescentes no Brasil inteiro.
No caso do ENEM, o adiamento para o incio de dezembro, alm do prejuzo financeiro de mais de R$ 30 milhes, no bolso dos brasileiros, a nova data coincide com o final do ano letivo.
Alm do prejuzo pessoal para a vida dos estudantes que precisam fazer a prova para tentar uma vaga em universidades pblicas e privadas ou uma bolsa do PROUNI, dezenas de universidades tiveram que mudar a data de seus vestibulares.
Entretanto, o prejuzo poderia ter sido maior, um deles, o ingresso de pessoas despreparadas nas universidades pblicas, e para isso, bastaria que as provas tivessem sido roubadas no por ignorantes, mas por marginais profissionais. J o ENADE sequer foi adiado ou alterado. O MEC limitou-se a dizer que no havia nada de errado.
Mas se a situao no serviu para encher os bolsos dos ladres com os R$500mil que queriam na venda, pelo menos a situao deixou mostra a fragilidade da superviso do MEC sobre o consrcio que venceu a licitao. Afinal, so milhares de vagas em universidades pblicas e particulares que esto em jogo, todas pagas com o nosso dinheiro.
Esta e outras situaes pem o MEC entre as instituies pblicas no confiveis, ou pelo menos administradas amadoristicamente, mesmo que por Doutores, Mestres e Especialistas. Ou seja, tambm ao MEC falta profissionalismo no comando da coisa pblica e de interesse nacional. Afinal o novo ENEM foi apresentado como uma espcie de prova capaz de provocar alteraes significativas na qualidade do ensino mdio. E como o pas poder crescer sem profissionais?
A grande pergunta , se o prprio MEC sequer consegue, com toda a estrutura e dinheiro, realizar uma prova com segurana, o que no aconteceria com os demais concursos pblicos?
No toa que diariamente so anulados concursos, como o da UDESC e do TRE de Santa Catarina dentre tantos outros.
Deste modo, infelizmente, teremos de voltar a afirmar que o Brasil no um pas srio, ou pelo menos, seus atuais administrao no tm a seriedade necessria para transformar o Brasil, numa nao em que a transparncia e o respeito ao cidado e ao dinheiro arrecadado por meio de impostos (os mais elevados do mundo) sejam uma realidade.
Neste aspecto at podemos entender as razes de manter a maioria dos brasileiros no estado de ignorncia de seus direitos e deveres. Todo este empenho em manter os brasileiros dentro do pas, e pobres, seguramente tem o objetivo de no permitir que boa parte deles conhea outros pases, de onde trariam a certeza de que a corrupo e a incompentncia reinam soberanas Brasil.
A educao de pssima qualidade , com certeza, a nica maneira de manter a maioria quase absoluta dos brasileiros, ignorantes e crentes nas propagandas governamentais enganosas. Como disse Celso Vasconcelos em sua palestra, durante a Jornada da Educao, em Joinville: precisamos urgentemente ensinar e aprender a 'ler' a mdia brasileira. No so poucos os que confundem propaganda governamental com matria jornalstica, inclusive entre os jornalistas.
Pesquisas mostram que o presidente tem ndices altssimos de popularidade -como nunca se viu antes nesse pas- e a propaganda governamental diz que o Brasil est muito bem. A crise financeira mundial foi s uma marolinha, mas a marolinha tem provocado renncia fiscal contnua, e renncia fiscal deixar de receber dinheiro de quem nos deve e deixa os cofres de prefeituras e estados (quem realmente pe a mo na massa) em baixa.
Nem um apago em praticamente metade do pas e outros de menor porte nos principais centros, como Rio de Janeiro e parte de So Paulo, foram suficientes para que o Governo Brasileiro reconhecesse que no tem investido em infraestrutura (e, neste caso, tambm em educao para a profissionalizao). No preciso muito para perceber que o Brasil vai mal e muito mal.
Sem nenhuma explicao tcnica para o apago, o culpa foi jogada para Deus, que parece estar deixando de ser brasileiro, dada a quantidade de tragdias provadas pela ira da natureza.
Nesta linha de pensamento, quem sabe possamos concluir que Deus resolveu punir seus maus filhos que pensam estar acima da lei, s porque, sentados nas escrivaninhas de Braslia, esquecem que h outros bilhes de brasileiros dependendo de suas aes e no s de discurso.
Para completar o descaso com o investimento no ensino de qualidade o MEC anuncia a realizao de uma licitao nacional para aquisio de uniforme escolar para todos os estudantes de escolas pblicas do Brasil. Os estados e municpios podem participar da licitao. Ou seja, o prprio MEC est dizendo que uniforme escolar investimento em educao e no assistencialismo.
Ou ser que os educadores que trabalham no MEC no percebem que, ao doar uniformes, cadernos, merenda, transporte e at assistncia sade das crianas, esto eximindo os pais da responsabiliade mnima com o filho, que a sobrevivncia fsica?
Ao doar quase tudo, alm de desviar a verba da educao para assistencialismo, os administradores pblicos esto dizendo aos pais: deixe seu filho com o estado, ns somos provedores, voc s o criador, educar e prover conosco, fique tranquilo.
Ou ser que em breve conseguiremos acordar e descobrir que h algo de podre no reino tropical da Amrica do Sul?
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Qual a sua opinio?