Ano novo nova chance de comprometimento (Janeiro e Fevereiro/2008) PDF Imprimir E-mail
Classificao: / 1
PiorMelhor 
Escrito por Jornal da Educacao   
18-Fev-2008


A chance de recomear no vem para todos os seres humanos. Mas para o professor e seus alunos, essa uma realidade vivenciada, pelo menos constantemente.

No incio de cada ano, mudam os alunos, os colegas, s vezes, muda at mesmo a escola, a disciplina, os contedos curriculares a serem trabalhados, portanto, a cada novo ano, o professor tem uma nova chance de comprometer-se com a profisso que escolheu.

Alis, a falta de profissionalismo e comprometimento do professor reclamao recorrente entre todos os gestores educacionais, sejam diretores de escola que amargam a quantidade de faltas ao trabalho sem aviso prvio e justificativa aceitvel; sejam os secretrios de educao que no conseguem efetivar suas polticas de melhoria na qualidade do ensino.

J foi amplamente divulgado que os professores de escolas pblicas so mais qualificados do que os de escolas particulares, mas tambm sabemos que o comprometimento, o envolvimento e porque no dizer, o profissionalismo, dos que trabalham em escolas privadas, maior. Talvez porque corram o risco de perder o emprego a qualquer momento.

Em sua grande maioria, os professores em atividades nas escolas pblicas so concursados e passaram por faculdades que pregavam a vocao para o magistriocomo qualificativo indispensvel. Hoje sabemos que este era mais um discurso para manter o padro salarial da categoria em baixa.

Evidentemente quem , e continua sendo professor por opo profissional, v a escola como local de trabalho e portanto, chega no horrio, prepara suas aulas, registra o processo ensino-aprendizagem, envolve-se com projetos na escola e, principalmente, est sempre em busca de melhores condies de trabalho e qualidade de vida.

Portanto, os professores profissionais, e no os vocacionados, so mais comprometidos com o sucesso de seus alunos. Os vocacionados tem uma relao em nvel supra-humana com a educao e com os alunos. E, muitas vezes seu sucesso decorrente do carisma, confundido com profissionalismo.

Bom seria se pudssemos reunir, numa mesma pessoa (e sempre), o comprometimento do profissional, com o carisma do vocacionado. Vale lembrar que o termo vocao est mais ligado religiosidade do que profisso. E que surgiu num momento histrico brasileiro em que a quase totalidade dos professores era tambm religioso(a).

Talvez o termo tenha se firmado tanto no meio educacional porque, quem os usava entendia que quem trabalha por vocao no precisa ter preocupao com os resultados. O que vier, lucro e a f moveria as montanhas.

Os profissionais, independente da rea de atuao, tero sempre compromisso com os resultados de seu trabalho e tambm, obviamente, com sua realizao profissional e no somente com o salrio.

Mas como conseguir que os vocacionados tambm se comprometam com os resultados e que os profissionais tenham a sensibilidade de um religioso idealista?

Esta talvez fosse a receita de ouro para transformar nossas escolas em templos do saber e da sabedoria. O comprometimento de todos os professores com a qualidade do ensino e com seus alunos, buscando o contedo e motivao que lhe falta para melhorar sua prtica diria nossa ltima e talvez, nica alternativa para por fim ao caos em que est mergulhada a educao no Brasil.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Qual a sua opinio?