Qual o preo de um par de meias? (Edio Julho/2007) PDF Imprimir E-mail
Classificao: / 0
PiorMelhor 
Escrito por Jornal da Educacao   
30-Jul-2007


Os atores foram os primeiros a reclamar da meia entrada para estudantes. Nei Latorraca disparou, h pouco mais de um ms, durante reportagem sobre a falsificao de carteirinhas de estudantes: "Eu no sou meio ator e no fao meio espetculo, ento no h razo para meia entrada". O respeitado ator foi seguido por Paulo Autran e muitos produtores.

A discusso maior no Rio de Janeiro e em So Paulo, onde o preo dos ingressos de espetculos teatrais, musicais e cinemas bem mais alto do que os praticados em nossa regio. E onde comprar uma carteira de estudante falsa via internet, em poucos minutos, muito fcil.

Em Santa Catarina, os estudantes querem a meia passagem. Em Joinville uma professora foi denunciada pela empresa de nibus por dar seu passe para a prpria filha, e teve que responder a processo administrativo pela cesso indevida desse benefcio.

No Brasil da corrupo passiva e ativa em vrios rgos pblicos e empresas privadas, especialmente os que fazem obras para o setor pblico, o desconto de 50% para estudantes pode ser considerado uma piada de muito mau gosto.

Nosso pas capitalista, tem uma das piores distribuies de renda do planeta, mas no podemos fugir da realidade de que tudo pago, tudo tem um preo, desde o crach que identifica o estudante ao ingressar na biblioteca da universidade tinta da almofada usada para tirar a digital do analfabeto. Algum sempre ir pagar o preo da meia entrada, ou do meio passe.

Para se proteger dos falsrios, os produtores, proprietrios de cinema e artistas aumentaram o preo dos ingressos, em at 100% em alguns casos. Os espectadores no estudantes e honestos passaram a pagar o dobro e os verdadeiros estudantes a pagar o preo que seria o do ingresso normal. Ou seja, ficou caro para todos.

Os falsrios alegam que "se os preos fossem mais baixos, eu no falsificaria". Mas ser que o preo subiu por causa dos falsrios, ou os falsrios apareceram porque o preo subiu? Afinal, quanto custa um par de meias?

Algum tem que pagar pelo figurino, pelo cenrio, pela manuteno da casa de espetculo, pelo trabalho do autor, do diretor, da iluminao, da sonorizao, pela manuteno do nibus, pelo combustvel, pelo trabalho do motorista, pelo investimento dos proprietrios, enfim, algum tem que pagar por cada tomo movimentado na mquina de fazer espetculo ou de transportar pessoas.

Uma anlise rpida de tais lutas pela meia entrada, ou pelo meio passe, nos leva a concluso de que, ao mesmo tempo que os trabalhadores tero de pagar mais caro para andar de nibus (porque so somente os trabalhadores que se deslocam de nibus), os espectadores da classe mdia tero que pagar pela meia entrada para os estudantes.

Seria justo pedir que uma diarista que ganha R$50,00 para limpar uma casa, pague a passagem de nibus para o estudante da FURB, ou da Univille? justo que o ajudante de pedreiro ou o pintor de paredes pague para que o estudante do Ensino Mdio v para a escola localizada no centro da cidade, de nibus, quando poderia estudar numa escola pblica a menos de trs quilmetros de sua casa?

O preo de um par de meias o mesmo que do conjunto mnimo necessrio para aquecer os dois ps de uma pessoa e nunca duas meias custaro o mesmo que um nico p. Algum sempre ter que pagar o preo do par de meias, mesmo que leve para casa somente um dos ps. o que acontece com a meia passagem, ou o meio ingresso.

sabido que a planilha que determina o custo da passagem de nibus composta pelo conjunto custo de manuteno do sistema/quantidade de usurios pagantes. Ou seja, se algum viaja de graa, os demais pagam a diferena.

No dia 12 de julho, a Rede Globo publicou em sua pgina na Internet, uma reportagem detalhada sobre a falsificao de carteiras de estudantes no pas, antecedida pela comprovao de que possvel tirar via internet carteira de estudante at mesmo para Bin Laden.

assustador pensar em estipular a meia entrada ou o meio passe estudantil, quando temos um pas que ainda vive sob a lei de Gerson querendo tirar vantagem individual em tudo.

Infelizmente, o sentimento de coletividade, honestidade e principalmente, o respeito s leis e ao outro, passa ao longe de boa parte dos brasileiros . Novamente, os grandes prejudicados so os pobres, que pagam pelo par de meias, mas levam um nico p para casa, e sem reclamar.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Qual a sua opinio?