OS LIMITES DO NOVO ENSINO MÉDIO (JE300) PDF Imprimir E-mail
Classificação: / 0
PiorMelhor 
Escrito por Norberto Dallabrida   
23-Fev-2017


Image

 No início deste ano letivo, a rede pública de Santa Catarina vai implantar um novo formato de ensino médio, marcado pela flexibilização curricular e pela educação em tempo integral. 

Estimulada pelo Governo Federal, essa iniciativa é restrita a apenas 16 colégios públicos espalhados em diferentes municípios.

Do ponto de vista pedagógico, é consistente e salutar dar certa liberdade de escolha de disciplinas aos alunos e ampliar o número de horas semanais de aula. 

No entanto, a proposta do novo ensino médio em fase de implantação em algumas escolas catarinenses apresenta no mínimo três limites, que passo a comentar.

 

Em primeiro lugar, a pressa na implantação da nova modalidade de ensino médio é problemática porque a experiência internacional indica que um novo currículo deve ser elaborado com vagar. 

Em especial, é preciso definir a proposta pedagógica que fundamenta a integração de disciplinas e tecer a operacionalização didática no chão da escola. Não é uma tarefa simples para ser feita em poucos meses.

Em segundo lugar, a falta de uma carreira docente atraente é um ponto frágil no novo ensino médio. 

No Brasil, os salários dos professores são 39% inferiores aos de outros profissionais com diploma em nível superior. 

Não por acaso, as licenciaturas estão esvaziadas e, em Santa Catarina, a metade dos professores ensinam disciplinas para as quais não têm formação. Os professores precisam ser muito bem remunerados e muito bem avaliados!

Por fim, escolher somente 16 colégios públicos para introduzir o novo ensino médio depõe contra a democratização da escolarização. Toda proposta educativa que privilegia um grupo particular de cidadãos exclui a grande maioria, geralmente aquela mais desfavorecida.

Para superar o gargalo do ensino médio, o estado de Santa Catarina precisa implementar políticas educacionais que tonifiquem a carreira docente e universalizem uma Educação Básica de qualidade. 


Norberto Dallabrida
Sobre este autor:
Professor na UDESC e autor de "A fabricação escolar das elites: O ginásio Ginásio Catarinense na Primeira (Editora Cidade Futura) e O tempo dos ginásios: ensino secundário em Santa Catarina (final do século XIX meados do século XX). Endereço eletrônico: Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Qual a sua opinião?