O “VICTOR MEIRELLES” COMEMORA O CENTENÁRIO(JE274) PDF Imprimir E-mail
Classificação: / 0
PiorMelhor 
Escrito por Norberto Dallabrida   
13-Dez-2013


  Texto: Norberto Dallabrida e Gladys Mary Ghizoni Teive*
         
No dia quatro de dezembro, a Escola de Ensino Médio Victor Meirelles, localizada em Itajaí, celebra 100 anos de existência. Esse momento festivo traz à baila uma pluralidade de memórias de diversos atores educativos dessa escola que começou como grupo escolar e passou por várias metamorfoses.
O Grupo Escolar Victor Meirelles foi inaugurado na tarde do dia 04 de dezembro de 1913 numa sessão cívico-patriótica, cuja programação contou a execução dos hinos de Santa Catarina e do Brasil, a declamação de poesias, a execução de cantos e a apresentação de exercícios ginásticos pelos alunos. 
Na sequência, o Inspetor Geral do Ensino, professor Orestes Guimarães, proferiu um discurso, e o Governador do Estado usou da palavra e comunicou aos presentes a oficialização do primeiro grupo escolar na principal cidade portuária de Santa Catarina.
A construção do prédio foi terminada em junho de 1913, momento em que foram realizadas as nomeações do diretor Pedro Nolasco Vieira e dos primeiros professores. Como nos outros grupos escolares catarinenses, o diretor era do sexo masculino e fora recrutado do Estado de São Paulo pelo professor Guimarães para acelerar a modernização do ensino primário catarinense. 
Contudo, esse diretor ficou pouco tempo no cargo, sendo substituído, no ano seguinte, pelo professor Henrique Gaspar Midon, que permaneceu na direção da escola até o final da década de 1910. 
De outra parte, o corpo docente do primeiro grupo escolar de Itajaí, formado por maioria de normalistas mulheres, expressa o movimento de feminização do magistério que se colocava em nível nacional.
A implantação do “Victor Meirelles” é parte integrante da Reforma Orestes Guimarães, ocorrida entre 1911 e 1918, que reestruturou e modernizou a Escola Normal Catarinense e implantou grupos escolares em Santa Catarina. 
Na sua segunda gestão, o governador Vidal Ramos investiu na modernização da instrução pública catarinense, contratando no  Estado de São Paulo o professor Orestes Guimarães, experiente diretor de grupos escolares e expert na chamada Pedagogia Moderna. 
Como “Inspetor Geral da Instrução”, Guimarães reformou a Escola Normal Catarinense e implantou grupos escolares nas principais cidades do Estado no início do século XX: Joinville, Florianópolis, Laguna, Itajaí, Blumenau e Lages.
No início de dezembro, Itajaí festeja o centenário da instituição do seu grupo escolar. No dia dois, haverá desfile escolar e lançamento do selo comemorativo ao centenário. 
No dia seguinte, será aberta a exposição “Ensino de gigantes”, comemorativa à memória dessa escola. 
E, no “dia do centenário”, ocorrerá o lançamento do livro “Grupo Escolar Victor Meirelles: 100 de Educação”, organizado pelo historiador Édison d’Ávila. 
Essa programação dá distinção ímpar à celebração do centenário da implantação dos grupos escolares em Santa Catarina, que se deve ao empreendedorismo da Secretaria Municipal de Educação de Itajaí.
Itajaí está duplamente de parabéns: por comemorar os 100 anos da inauguração do seu grupo escolar e, sobremaneira, pela forma distintiva de comemorar – especialmente pela publicação de uma coletânea sobre essa escola.
 
* 1 - Professor da UDESC e co-autor de “A Escola da República: os grupos escolares e a modernização do ensino primário em Santa Catarina (1911-1918), Editora Mercado de Letras, 2011.  E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email
 
2- Gladys Mary Ghizoni Teive - Professora da  UDESC. Autora de “Política de modernização econômica  e formação de professores em Santa Catarina”; “Uma vez normalista, sempre normalista” e “A Escola da República – os grupos escolares e a modernização do ensino primário em Santa Catarina (1911-1918)”, em parceira com Norberto Dallabrida.
 


Norberto Dallabrida
Sobre este autor:
Professor na UDESC e autor de "A fabricação escolar das elites: O ginásio Ginásio Catarinense na Primeira (Editora Cidade Futura) e O tempo dos ginásios: ensino secundário em Santa Catarina (final do século XIX meados do século XX). Endereço eletrônico: Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Qual a sua opinião?