“Dar a palavra à criança”: Pedagogia Freinet em Movimento (JE269) PDF Imprimir E-mail
Classificação: / 1
PiorMelhor 
Escrito por Norberto Dallabrida   
24-Jul-2013


ImageImage
 
No terceiro Seminário Pedagógico Repensar la educación a através de la renovación pedagógica, realizado no mês passado, na Faculdade de Educação da Universidade Complutense de Madrid, o professor Sebastián Gertrudix apresentou o trabalho intitulado Testimonio de vida de un maestro del Movimiento Cooperativo de Escuela Popular (MCEP).
A instigante fala de Sebastian versou sobre a sua experiência como professor em uma escola primária de Torres de Segre, localizada na Catalunha (Espanha). 
Considerando que “a sala de aula é uma oficina permanente”, esse docente apresentou as principais estratégias educativas, ancoradas nas ideias de Célestin Freinet, que colocou em prática nas últimas três décadas, tais como planos de trabalhos, excursões escolares, uso de jornais e revistas, texto livre, construção de livros, correspondência escolar, conferências discentes e docentes, assembleia de alunos, carinhogramas, autocorreção e autoavaliação. 
Ele sublinhou que a pedagogia freinetiana é um proposta aberta, que pode ser adaptada e reinventada.
A insatisfação com suas aulas “tradicionais”, baseadas em explanações e no uso de livros escolares, levou o professor Sebastian a procurar uma forma alternativa de ensinar. Diz ele: “Encontrei um velho professor, Josep Alcobé, que havia trabalhado com as técnicas Freinet durante a II República Espanhola (1931-1936/9) e foi ele que me introduziu na pedagogia Freinet: levou-me a visitar algumas escolas em Barcelona e recomendou-me a leitura de alguns livros.
 Visitando escolas e lendo alguns livros de Freinet, descobri uma pedagogia e umas técnicas de trabalho que me abriam um mundo novo e pleno de possibilidades”. 

ImageImage
Nas fotos:
1- Os alunos apresentando o resultado de pesquisas e defesas de teses preparadas em casa com a ajuda dos pais e recitando poemas, contando histórias ou relatos de própria autoria.
2 -  Em aula-passeio e fazendo cálculos e investigação na horta da escola. 
 
  
É importante esclarecer que, no início dos anos 1930, algumas técnicas freinetianas foram introduzidas em Catalunha e, em 1935, o próprio Freinet ministrou conferências em Barcelona, o que impulsionou a difusão de suas ideias pedagógicas. 
A vitória dos franquistas, em 1939, que derrubou o II República, desestruturou essa rede freinetiana na Espanha, que foi recomposta somente na redemocratização dos anos 1970.
Sobre a importância decisiva da pedagogia freinetiana na sua profissão docente, o professor Sebastian conclui: “Freinet e suas técnicas me ajudaram a encontrar sentido na minha profissão, a amá-la e me motivaram a aprofundá-las e tentar ser cada vez um professor melhor.  
 A prova é que continuo trabalhando e lendo para seguir melhorando, embora já não possa fazê-lo em sala de aula com alunos. 
Pelo fato de não ser um método fechado e não depender de nenhum instrumento determinado (nem sequer a imprensa é imprescindível, pois o objetivo é ‘dar a palavra à criança’, a pedagogia Freinet pode adaptar-se a qualquer situação, a qualquer professor, a qualquer tipo de aluno”.
Desde a sua aposentadoria, o professor Sebastian continua a divulgar a pedagogia Freinet por meio de coordenação de grupos de trabalho, conferências, oficinas e, particularmente, por meio de seu site (www.sebastiangertrudix.wordpress.com), que divulga os seus livros e artigos em periódicos científicos. Vale a pena conferir essa consistente e emocionante experiência docente.
 
Nota da editora:  
* Norberto Dallabrida, colunista do Jornal da Educação, está fazendo o Pós-doutorado na Espanha de onde nos relata a experiência pedagógica do professor Sebastián Gertrudix que optou pela pedagogia Freinet como método de ensino na Catalunha, Espanha. 

Norberto Dallabrida
Sobre este autor:
Professor na UDESC e autor de "A fabricação escolar das elites: O ginásio Ginásio Catarinense na Primeira (Editora Cidade Futura) e O tempo dos ginásios: ensino secundário em Santa Catarina (final do século XIX meados do século XX). Endereço eletrônico: Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Qual a sua opinião?