O bom humor no trabalho: por uma escola mais divertid (Ed. Julho 12) PDF Imprimir E-mail
Colunistas - Psicologia da Educao
Escrito por Jornal da Educao   
03-Ago-2012


As escolas brasileiras, pblicas e privadas, sofrem de um mal comum a ambas: o mau humor. As questes polticas e a falta de ascenso na carreira pode ser a causa nas escolas pblicas, e a presso de pais-clientes na direo que, por sua vez, repassa a presso aos professores, aliada necessidade de atingir nveis excelentes deixa o clima ruim nas escolas privadas. Claro, existem inmeras outras causas em ambas as redes, mas o resultado desses desalinhos um crnico mau humor.

Os alunos em geral so ativos, espertos, agitados (cada ano mais) e irreverentes, bem humorados. Muitos educadores justificam sua seriedade e a sisudez afirmando que, se "mostrarem os dentes" aos alunos, estes extravasam e perde-se o domnio da classe. Mais uma prova, para os que pensam assim, que continuamos a educar pelo medo e no pelo respeito.

No o salrio que torna a escola pblica uma sede do mau humor e do clima pesado. Municpios do norte catarinense esto entre os que pagam os melhores salrios, mas crescente o j enorme nmero de professores afastados por problemas emocionais, stress, depresso, ansiedade generalizada e at Sndrome de Burnout, o ltimo estgio de esgotamento. Todas as semanas, recebo em meu consultrio muitos educadores esgotados pela presso, pela ausncia de prticas que realmente funcionem para o aprendizado, pela coao moral (que aumenta em pocas de campanha poltica), ou por falta de apoio e pelo despreparo em lidar at mesmo com situaes simples.

As escolas particulares, vidas por resultados pedaggicos que tragam retorno financeiro, acabam por manterem uma presso que, quando no passa do limite do bom senso, at positiva, para evitar a acomodao natural.

Mas h anos enfrentam o fantasma de alunos mimados e mal-educados que, quando cometem indisciplinas, chamam os pais a lhes defenderem cegamente, passando recibo de conivncia com as ms aes dos filhos. A entra em ao o ego de pais emergentes, com dinheiro, mas sem cultura nem educao, com aquela triste sensao de poder e de superioridade de quem acha que o dinheiro compra at dignidade... Quando ameaam tirar o filho da escola (e dizem que influenciaro mais famlias a fazerem o mesmo), provocam verdadeiro pnico nos gestores financeiros.

Os contedos trabalhados tambm acabam sendo srios demais. Os livros pedaggicos raramente incentivam alguma associao, tem "cara" de informativo de funerria! Faa-me o favor! Imagine contedos que estimulassem mais criatividade, que utilizassem questionamentos e ferramentas de busca, que mostrasse erros crassos de quem no estuda ou no l com ateno... Seria ou no mais divertido aprender?

Claro, no possvel inventar piada em tudo, mas um professor bem humorado, que utilize certas ironias, que faa associaes engraadas, auxilia at a compreender melhor um assunto ou fixar aquele detalhe que faz a diferena. Outro tpico importante lembrar que quando um professor tem falas inusitadas, quando nunca se sabe o que esperar dele, a ateno do grupo maior, o clima relacional se torna agradvel, o respeito compreendido e no imposto e h um ganho de qualidade na aprendizagem. Alm disso, sempre acaba uma aula em gargalhadas, num clima natural de relaxamento que facilita o aprendizado.

H uma enorme diferena entre ser engraadinho e ser bem humorado. Assim como bem diferente ser um professor bem humorado e criativo e ser um bobo da corte, querendo forar para agradar. As escolas, sisudas por si s desde a arquitetura, precisam elucidar a equao que traga respeito, motivao e alegria associados competncia de quem vence metas e desafios, sorrindo.

Qualquer ramo de trabalho exige responsabilidade, ateno e seriedade. No quer dizer que seja proibido um clima animado e sadio. Os funcionrios de sucesso no tm medo de rir, nem de pagar um mico. Ser original agua a criatividade e traz o desejo de se unir e colaborar. X, gente borocox!


Gilmar De Oliveira
Sobre este autor:
Psiclogo clnico e institucional; especialista em Neuropsicologia e Aprendizagem e Mestre em Educao e Cultura. CRP 12/01950. Endereo eletrnico: Este endereo de e-mail est protegido contra spam bots, pelo que o Javascript ter de estar activado para poder visualizar o endereo de email
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Qual a sua opinio?