Ensino domiciliar (Edição 261- Julho 2012) PDF Imprimir E-mail
Histórias da Educação
Escrito por Norberto Dallabrida   
03-Ago-2012


No último dia 10 de junho, o jornal Folha de S. Paulo publicou uma matéria curiosa sob o título “Cresce adesão dos pais ao ensino domiciliar”. Essa matéria afirma que, atualmente, há em torno de mil famílias brasileiras que praticam o ensino doméstico, sendo que em 2009 eram apenas 250. 
No momento em que o Brasil praticamente universaliza o ensino fundamental, parodoxalmente, cresce o ensino doméstico.
Além de curiosa, essa questão é polêmica, pois várias famílias que realizam o ensino em casa estão sendo processadas pela Justiça e uma já foi condenada a pagar multa. 
Tal decisão é fundamentada no artigo 6º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional que reza: “é dever dos pais ou responsáveis efetuar a matrícula, a partir dos seis anos”. 
De outra parte, os pais que educam os seus filhos em casa – boa parte deles formados por evangélicos –, argumentam que não há, no Brasil, legislação que considere o ensino domiciliar inválido.
Os argumentos contrários ao ensino em casa são basicamente dois. Em primeiro lugar, por mais bem preparados que sejam os pais, eles não têm formação cultural e pedagógica para transmitir todos os conhecimentos da Educação Básica aos seus filhos. 
Por outro lado, a escola é também um espaço de socialização, necessária para a formação de seres humanos. Nesta direção, o jornalista Hélio Shwartsman afirma: [...] a função do colégio não é só transmitir conhecimentos aos alunos, mas também ensiná-los a conviver civilizadamente uns com os outros, respeitando diferenças e aprendendo com elas”. 
Apesar de a educação doméstica ser um tema polêmico, que não se esgota neste canto do jornal, concordo com essas teses.
Na História da Educação, constata-se que os preceptores educavam os filhos da nobreza da corte, que tinham um ensino diferenciado nas armas e nas letras. 
A partir do século XIX, crianças da burguesia também foram educadas por professores particulares. Contudo, com a massificação do ensino, a educação cada vez mais passa pela escola. 
Contudo, alguns países como o Canadá, Inglaterra, México e alguns Estados dos EUA o “homeschooling” é regulamentado.
E você, educaria seus filhos ou filhas em casa?


Norberto Dallabrida
Sobre este autor:
Professor na UDESC e autor de "A fabricação escolar das elites: O ginásio Ginásio Catarinense na Primeira (Editora Cidade Futura) e O tempo dos ginásios: ensino secundário em Santa Catarina (final do século XIX meados do século XX). Endereço eletrônico: Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Qual a sua opinião?